segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Pensamentos RACIONAIS. A Espiritualidade e o Descanso.

Vamos vivendo como pessoas enquanto gastamos nosso corpo e alma em constantes atividades físicas e mentais. Isso vale pra todos. Pois não há ninguém que não aguarde a chegada do fim de semana – esse tempo “oficial” de descanso “físico” dos humanos que chega a cada sete dias. E mesmo quando o dia não cai aos sábados e domingos, ainda notamos que, de um jeito ou de outro, todos procuramos parar as atividades ao menos uma vez na semana. Mesmo sem identificar a origem desta “parada semanal”, e mesmo acreditando que é mais parte da cultura do que de nossa essência espiritual, esperamos sim, pelo descanso semanal. E faz uma diferença. Você já tentou trabalhar ou estudar, mantendo atividades sem descanso, por mais de 7 ou até 10 dias? E acima deste tempo, uns 15 dias ou mais? A realidade diária que é preciso parar um pouco após o almoço ou início da noite e de que precisamos dormir a cada 24 horas revela a importância do descanso pra todos nós. Trata-se do “descanso” físico-mental básico que buscamos diariamente e de que precisamos gravemente no fim de semana. Não há como dele escapar. Uma nova semana que inicia sem um dia de descanso no meio irá cobrar de todos nós uma desatenção e fraqueza que tem um nome às vezes esquecido: cansaço existencial. Algo bastante real. Isso porque não é um cansaço somente corporal, já que nossas emoções e pensamentos, o espírito, caminham junto com o físico nosso de cada dia. O que importa é perceber, e logo, que “descansar” das atividades da vida é uma orientação que tanto reconhece quanto respeita – a nossa espiritualidade. Pois se eu e você existíssemos apenas como pessoas físicas, então a tranquilidade e a saúde poderiam ser, quase, renovadas através de remédios e treinos. Mas já sabemos que algo assim não garante uma saúde integral para nossa mente e sentimentos. Assim ocorre porque a nossa “pessoa” inteira não existe somente fisicamente. Eis outra percepção que aponta para a nossa... Espiritualidade – a realidade de que somos pessoas com corpo e espírito, exterior e interior; mas sempre, uma pessoa só, enfim. Daí a necessidade de abraçar um descanso existencial semanal, reconhecendo que somos seres físicos e também espirituais, precisando descansar por inteiro pra bem permanecer existindo. Um descanso que por si só não irá resolver o cansaço físico e espiritual que nos acomete, pois tanto o corpo quanto a alma tem necessidades peculiares de descanso, além das que em conjunto já têm. Reconhecer o valor imperativo desse descanso nos fará mais capazes de bem cuidar de nossas vidas. Pois, ou cuidamos inteiramente de quem somos, ou não cuidamos realmente de nós mesmos. Bom descanso! Físico, e espiritual.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

A Espiritualidade dos 10 Mandamentos é mais humana do que mística.

Já pensamos por aqui que a espiritualidade dos 10 mandamentos é natural, pois seus ensinos transformam nossa vida assim que os lemos e logo que tentamos guardar os princípios. Então, lendo e pensando, ou ouvindo e meditando, já é possível pra nós sermos abençoados por qualquer dos mandamentos. Trata-se de um processo natural, pois só precisamos de nossos olhos e mente pra receber a "vida" dos 10 mandamentos. Uma vida humana dada pra nós que se desenvolve em nosso espírito, pois também já estamos sabendo que vivemos "tudo" o que somos, ao mesmo tempo, e agora; sempre no corpo e espírito, exterior e interior, tudo junto. Jamais vivemos separados de nós mesmos. Somos uma pessoa só. O que nossos olhos enxergam nosso espírito já vê. Pronto. Chegou nos olhos e passou pela mente já está no espírito, também. A vida é uma experiência espiritual. E natural. Assim ocorre nos humanos. Bom, e agora? Agora já podemos pensar que a espiritualidade dos 10 mandamentos é mais física do que mística. Mais natural do que sobrenatural. Isso porque as reações que os 10 mandamentos provocam em nosso espírito, movendo-se através de nossa mente e corpo, coração e alma, vontade e interesses; isso "tudo" que "somos". São reações nossas ao 10 mandamentos que transformam nossa física pessoa espiritual diretamente. E fazem isso através do nosso conhecimento humano e da nossa força humana. Somente. Nenhum anjo ou espírito precisa aparecer pra que eu e você mudemos algo em nossa história a partir do contato com os 10 mandamentos. Só os 10 mandamentos já bastam. Eis a razão porque a espiritualidade dos 10 mandamentos é mais física, do que mística. Pois não é preciso uma relação ou encontro transcendental e bi-dimensional acontecendo em nossa pessoa pra que os 10 mandamentos comecem a mudar as coisas. Tá entendendo? Isso é bom, gente. E isso também tem seu lado ruim. Algo que vamos ver mais pra frente... Um pensamento importante é que tem um monte de gente boa, gente espiritual mesmo, que dá muito valor aos 10 mandamentos. Moisés e Davi, Pedro e Paulo, João e Jesus, além de um bom número de filósofos espirituais e teólogos de fé que viveram antes de nós por aqui. E carregaram os 10 mandamentos embaixo do braço. Dá uma olhada neles, então... nos mandamentos.

a Espiritualidade no CINEMA, o "Doador de Memórias" e "A Bruxa"

O promissor filme "O Doador de Memórias", primeiro livro-filme da jovem série que trouxe Jogos Vorazes e Divergente, é uma das boas parábolas acerca do conflito religiosidade e espiritualidade que assisti recentemente. A incapacidade do homem em controlar a si mesmo, e sua grande capacidade de destruir muito do que toca, dão apoio ao nascimento de uma sociedade eficaz no controle das... paixões humanas. Alias, muito bacana, a tal sociedade. Alguns de nossos 10 mandamentos, aqueles que dizem "não!"; tornam-se uns 50 por lá. É assim que uma nova e perfeita comunidade começa de novo entre os humanoides. E aqueles que não se adequam, ou adequados não são, enviados para Alhures vão... Eis o momento de enxergar que o tema do filme desenvolve mais um de nossos totalitarismos de sempre, sejam os políticos, sociais, econômicos, familiares e, os religiosos também. A espiritualidade porém, busca ser diferente, pois tenta reconhecer o interior esperançoso e original de cada um de nós. Aquele pedaço da gente que pensa... pra frente! Que deseja escapar da escravidão dos totalitários "nãos", e também superar as interessantes benesses dos "nãos" necessários. A questão por lá - no filme, é que os Anciãos que controlam a história preferem fazê-lo, sempre, suprimindo a vida. Precisamos, então, de "novos" pais espirituais. Por lá, e por aqui. Bom filme! *** Já o filme "a Bruxa", de Robert Eggers, apresenta a complexidade da personalidade humana psicológica e emocional na diversidade cultural mística e religiosa de todos nós, de modo coerente e integrado como poucas vezes se viu. A influência de valores culturais diversos e de algumas ações espirituais surge natural sobrenaturalmente na vida de uma família que, mais do que o retrato de uma época passada, revela assombrosamente a realidade múltipla dimensional da experiência humana de viver neste nosso físico mundo espiritual. Logo, logo irei escrever mais sobre esse magnífico filme. Por enquanto, indico a crítica do blog "adorocinema". Abs...

Pensamentos RACIONAIS: a ESPIRITUALIDADE humana acontece no corpo. Absolutamente!

Não conheço nenhuma pessoa que existe no “ar”. Toda a humanidade vive aqui no planeta Terra e somos chamados seres humanos porque temos um corpo, humano. Que é um corpo físico, mesmo. Eis mais um fato sobre nossas vidas que não se pode deixar pra lá. Pois somente vivemos porque existimos... fisicamente. Tanto em nosso particular corpo quanto em nosso comunitário planeta. A espiritualidade é racional porque nossa personalidade está em um espírito que pensa. E a vida espiritual também é física porque somos espíritos que assim vivem, fisicamente. Portanto, somos pessoas espirituais vivendo em corpos físicos. Nada mais, e nada menos. Uma realidade existencial de qualquer pessoa com um ensino simples pra todos: qualquer espiritualidade que amadurece, precisa acontecer na vida física e social de todos nós. Não no ar. Nem nos céus. E nem somente só em nosso interior, por mais profundo que seja. É preciso racionalmente tomar consciência e conscientemente assumir o controle desta realidade fundamental: nós vivemos “em” um corpo físico e “dentro” de um planeta material. Portanto, não há cuidado com o espírito que seja real e bom pra nós se desprezarmos a maneira como existimos. E todos os humanos, sem exceção, existem fisicamente, gente. Portanto, a Espiritualidade saudável é aquela que reconhece nosso ser interior e aparece em nosso jeito de ser, no exterior. Tanto em nosso corpo como em nosso planeta – físicos. Assim, vamos descobrindo que não há como amadurecer espiritualmente deixando de amadurecer como pessoas, físicas. Pois não há amadurecimento espiritual sem vida. E pessoas somente respiram e estão vivas, se fisicamente estão. Ainda que alguém possa ter experiências interiores profundas, sua espiritualidade humana somente irá existir plenamente se for vivenciada pela integralidade da pessoa humana que somos. Algo que somente irá ocorrer em nossa física - pessoa - espiritual, completa. A espiritualidade que esquece o físico corpo e o planeta material de todos nós, pode se tornar uma espiritualidade de fuga e alienação, nada saudável e pouco amadurecida. Pois esquece quem somos nós, existencialmente. Despreza nossa dupla natureza – pessoas espirituais físicas. Uma espiritualidade que é somente interior ou distante da vida diária, será uma espiritualidade que irá nos enganar ao invés de nos fazer melhor descobrir quem realmente somos. E, principalmente, quem ainda podemos ser. Atenção, pois!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Pensamentos RACIONAIS, A Espiritualidade é racional

Os seres humanos sabem que existem! Por isso se importam com a vida, preocupando-se com o que viveram ontem, organizando o que acontece hoje, sem deixar de olhar para o que irão viver amanhã. Esse interesse consciente pela Vida demonstra,então, que somos pessoas racionais. Pois só sabemos que estamos vivos e nos preocupamos se temos essa consciência da realidade que nos cerca. Enfim, assim somos nós. Pessoas Racionais. O próximo passo saudável dessa existência racional é reconhecer a nossa Espiritualidade. É quando começamos a olhar também para nós e não somente para o fato de estarmos vivos. Começamos a enxergar quem, e o que somos. E somos gente! Pessoas humanas com pensamentos e sentimentos diversos, vivendo cada instante de dentro pra fora, lá do interior de cada um de nós para o mundo ao redor. Pois não é o mundo que vive em nós, e assim nos faz viver; mas nós é que vivemos no mundo. Não é o que está fora de nós que nos torna vivos, mas de dentro de nós saem as percepções e sensações pra viver a vida. Nós é que existimos racionalmente. Não as situações e realidades físicas fora de nós. A vida está em nós, portanto, e a partir de nós ela aparece e acontece. Que vida é essa? E como se desenvolve? Ora, existimos com tudo que somos e experimentamos tudo que acontece por aí em um corpo físico – e que carrega em si muito mais que simplesmente o “físico”. E ao viver a vida descobrimos como todas as pessoas do mundo são tão diferentes, com tantas ideias e planos diversos, em meio a sensações sobre a vida que cada pessoa tem única e peculiar para si. São tantas as perspectivas e sonhos diferentes que encontramos na vida das pessoas que assim percebemos as grandes diferenças de Personalidades que há entre nós. Ora, toda essa diversidade e riqueza acerca de como e pelo que viver não existe assim a partir do corpo físico de cada um de nós. Jamais. São vontades e sensações acerca da vida que brotam da Pessoa interior que todos temos. Somos. Não originam do corpo físico dos humanos. Por isso que o conhecimento seguinte dos humanos Racionais é a básica constatação dessa interioridade de cada um de nós. Da real existência da nossa Espiritualidade. Reconhecendo que somos uma pessoa, uma personalidade, um ser interior, distinto e diverso uns dos outros, em toda a humanidade. Algo que não existe a partir do físico, mas do espírito dos seres humanos. Agora, essa é uma compreensão que pode ajudar a resolver a preocupação primeira da vida – o interesse que temos em bem vivê-la. E de que forma? Bem, agora já não dá mais pra pensar na vida apenas fisicamente, deixando de fora a espiritualidade, a personalidade interior de cada um de nós. E se essa personalidade única de cada um de nós é exatamente o espírito que temos, e somos; eis que ninguém irá cuidar bem de sua existência se projetar sua vida esquecendo exatamente o "que" e quem somos: somos um espírito, que vive em um corpo físico. Enfim, somos racionais ao perceber que estamos vivos e ao nos interessar por melhor viver a vida. E logo sabemos que a vida não vêm de fora de nós, mas sim, inicia em nós mesmos, a partir do nosso interior; por isso, somos pessoas "espirituais". E já que todos os seres humanos existem igualmente em corpos físicos, mas também são muito diferentes entre si, eis aí a diversidade de Personalidades que aponta para o interior de cada pessoa. Pois não é do corpo físico que surgem os sonhos e capacidades diferentes que todos temos. Estão em nosso espírito. De maneira que quando pensamos, quem pensa é nosso espírito. O mesmo espírito nosso de cada dia que sonha a nossa vida pra nós. E quando cada novo momento e história é por nós vivenciado, quem o experimenta é o espírito. A nossa particular e única pessoa, com personalidade – individualidade – interioridade. Sim, o "espírito" em nós. Eis como constatamos que a Espiritualidade dos humanos é absolutamente racional, pois raciocinando percebemos que nossa personalidade é espiritual, não física. Mas, muito mais do que isso, a "pessoa" que existe e raciocina em todos nós, é exatamente o espírito que vive em nosso físico corpo. Eis porque a Espiritualidade é grandemente racional. Ao menos, nos humanos. Todos eles!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A Espiritualidade dos 10 Mandamentos é natural!

A espiritualidade dos 10 mandamentos é uma espiritualidade natural, pois o espírito que está em nós reage aos 10 mandamentos através da leitura ou ao ouvir os mandamentos. Assim, basta este contato "humano" e "natural" à maneira como vivemos tudo que acontece na vida para que nossa espiritualidade seja "tocada" e transformada pelos 10 mandamentos. A espiritualidade do Leão da montanha é diferente, por exemplo. Pois assim que ouvimos ou lemos algum dos princípios espirituais do "Sermão do Monte" de Jesus, ou de algumas de suas Bem-aventuranças, nosso espírito vai precisar de uma intervenção sobrenatural para reagir corretamente às orientações do Leão da Montanha. Isso não quer dizer que nosso espírito não vai ser tocado ou transformado pela leitura e contato com os ensinos do Sermão do monte. Não é isso. Pois nosso espírito é "tocado" por tudo que lemos, já que não lemos nada sem que o nosso espírito leia também. E ao ler o Sermão do monte nosso espírito também será transformado devido à origem espiritual transcendental do texto. Assim como a origem transcendente dos 10 mandamentos também garante uma reação e transformação de nosso espírito de maneira grave e eficaz, espiritualmente falando. Mas, a transformação realizada pelo "contato" humano de nossas pessoas com o Sermão do monte será frágil, pois não temos a capacidade nem de entender bem e, muito menos, de bem viver o que ali está descrito. Precisamos de uma ajuda sobrenatural junto aos textos do Leão da Montanha para que nosso espírito seja realmente abençoado. Já nos 10 mandamentos, isso não é tão necessário. Nosso espírito consegue aproveitar os 10 mandamentos quase em sua totalidade, pois eles foram enviados pra nós reconhecendo toda a nossa humanidade espiritual. Real, e frágil, também. Assim, sozinhos já conseguimos realizar uma transformação espiritual de nossas vidas quando lemos os 10 mandamentos. Por isso, os 10 mandamentos são bastante espirituais. Mandamentos de uma espiritualidade natural. Pensando: basta ouvir o mandamento que diz que NÃO devemos desejar apaixonadamente o que não nos pertence - mas pertence a outra pessoa; para resguardar nossa pessoa e espírito de experiências ruins. Pra nós e para os outros. Trata-se de uma boa orientação espiritual, que irá orientar nossa existência de forma positiva e satisfatória, realizando-nos como pessoas, espiritualmente falando. Isso porque vai nos livrar de correr atrás do vento e sempre querer o que não nos pertence, brigando com quem já está vivenciando o que desejamos, e, pra piorar, nos afasta de buscar aproveitar o que está perto ou possível de ser alcançado por nós. É melhor enviar nosso coração para quem e onde ele melhor pode viver. Portanto, não deseje o que não é seu... Até porque seu, mesmo, nada é, certo? Sabedoria! E vai por aí...